Pesquisar este blog

13 de setembro de 2011

Menos é mais

"Quanto mais simples a casinha, mais sincero o bom dia"

Vivemos em um mundo complexo que se gaba de sua complexidade. Um mundo em que o grau de escolaridade já ultrapassa o pós-doutorado; no qual existe pesquisa pra tudo e sobre tudo e onde a informação esta cada vez mais acessível e se tornando cada vez mais imprescindível. Nesta cultura todos devem ter "conteúdo", fazer análises profundas e falar difícil para se ouvido e respeitado. Porém eu estou cada vez mais convencida de que isso é um tremendo engôdo. Enquanto tanto se faz, tanto se esforça, tanto se corre atrás, pouco se vive, se experimenta e se convive. Como disse Jesus à Marta "te preocupas com muitas coisas mas uma só é necessária". Quanto mais gente simples e simplicidade eu encontro maior felicidade eu vejo.

O dicionário traz inúmeros significados para a palavra simplicidade, mas a que eu mais gosto é "ausência de complicação". Basta ver as coisas como elas são ou se contatar com a visão de quem tem pouco conhecimento formal e muita vivência!

Simplicidade pra mim é ouvir o outro com os ouvidos do outro. É aceitar as coisas que não podem ser mudadas como elas são ao invés de  se desesperar em busca de explicação pra tudo - até mesmo para o inexplicável. É "compreender a marcha e ir tocando em frente". É olhar de dentro pra fora e não de fora pra dentro.

O simples é aquele que tem boa-fé, não usa disfarces não tem malícia. É sempre o mesmo onde que esteja pois não precisa se conformar ao meio para se sentir bem ou seguro. Ele geralmente vive mais feliz porque tem  tudo o que precisa ou sabe se contentar com o que tem. A única coisa que lhe é mesmo necessária é a prudência pois neste mundo "complexo", o simples acaba sendo facimente engambelado pelo complicado.

Como se diz na arquitetura "menos é mais"... penso que na vida também deveríamos adotar esta máxima!

Um comentário: