Pesquisar este blog

27 de abril de 2012

Trabalho


O trabalho pode ser entendido de duas formas distintas. Se ficarmos com o radical grego ergon, devemos entender o trabalho como a aplicação das forças e faculdades humanas (razão, sentimento, vontade) para alcançar determinado fim.

Observe que você não estará trabalhando plenamente se antes não escolher um fim a ser atingido e se não colocar, nesse trabalho, todas as suas faculdades, do sentir ao fazer. Verdadeiro trabalho não se faz só com as mãos, mas também com a razão e o coração. O trabalho é mais que simples práxis.

Há, também, uma origem para a palavra trabalho, que vem do latim vulgar tripaliare, que significa martirizar com o tripalium (instrumento de tortura). De fato, o trabalho escravo, o trabalho sem objetivo, o trabalho de um homem que não escolheu fazê-lo, tudo isso pode ser uma tortura ou martírio.

Nosso trabalho deve sempre ser ergon, do grego, força viva que transforma a natureza, a sociedade e, principalmente, quem o executa. “Ganharás o pão com o suor do teu rosto”, mas, na verdade, ganharás muito mais que o pão; ganharás dignidade e respeito por ti mesmo.

Estudar, preparar-se, é uma das muitas formas de trabalhar.

11 de abril de 2012

Ética


A ética é o estudo dos juízos que fazemos sobre a conduta humana, do ponto de vista do bem e do mal. Com tais juízos, tomamos consciência do bem ou do mal que resultam das nossas ações em relação a nós mesmos e/ou aos nossos semelhantes.

É incrível como em todos as nossas ações estamos sempre praticando o bem ou o mal. Das ações mais simples, como fumar um cigarro, fazer exercícios físicos, comer ou beber em demasia ou na quantidade adequada, até as atividades mais complexas, como estabelecer uma relação afetiva, exercer uma atividade profissional ou atuar como líder político, estamos sempre fazendo o bem ou mal, para nós ou para os outros.

É preciso ter consciência ética de cada um de nossos atos, buscar a própria felicidade, respeitando a dos outros, ter virtudes, ter moral, eleger o bem como valor a ser perseguido em cada uma de nossas ações.

O indivíduo ético não quer gozo e riqueza à custa da infelicidade dos seus semelhantes. Toda conquista humana sem ética tem o gosto amargo da ausência de mérito, do vazio de um mundo sem valores, construído com tijolos da mentira, da pequenez, do desamor e da miséria.

Ser ético é a condição sem a qual ninguém pode alcançar a grandeza, o saber, o progresso e, principalmente, a felicidade. Talvez o mais antigo e importante preceito ético seja “amar o próximo como a si mesmo”.

Assim como o progresso e a qualidade de vida de um país têm estreita relação com o padrão ético dos seus governantes, sua felicidade pessoal tem íntima relação com a sua conduta ética. Você é o governante maior da sua vida.

 Fonte: Editora Positivo

4 de abril de 2012

Saber


Saber vem do latim sapere, ter gosto e, originalmente, seu significado estava ligado ao paladar. O significado do saber se ampliou e já não basta apenas o paladar para se saber sobre as ciências, as emoções e a vida. É preciso colocar-se por inteiro na busca do saber, de corpo e alma.

O saber é o sal do espírito, o gozo da alma, a consciência que o homem tem do mundo que o cerca e das diversas teorias criadas para explicar os mistérios que nos envolvem. O saber é a luz que nos permite enxergar a estrada. O homem cria o saber, e este transforma o homem, propondo-lhe novos desafios.

Em sua vida, você tem duas escolhas com relação ao saber. A primeira é apaixonar-se por ele, ser capaz de conviver com suas dúvidas pessoais e fazer sempre mais perguntas. Se for essa sua escolha, você viverá as alegrias e os conflitos da eterna busca, mas será um ser com luz própria, capaz de mostrar novos caminhos. Sua segunda escolha é ter uma fraca relação com algum saber. Nesse caso, você deverá se conformar em caminhar sem rumo ou seguir a trilha que alguém, eventualmente, lhe indicar. Em uma nação onde todos cultivam o saber, não existe pobreza. O saber leva ao progresso, à paz e à felicidade.

Fonte: Editora Positivo